Ossufo diz estar satisfeito com o DDR enquanto o Governo diz não haver dinheiro para sustentar



Ossufo Momade: "A RENAMO é um partido unido"
Por as, af, Agência Lusa | há 16 horas
 
Líder da RENAMO está preocupado com a morosidade no desarmamento e reintegração dos seus antigos guerrilheiros, mas sublinha que o importante é que o processo "avance".
Falando à imprensa nesta sexta-feira (04.06), no distrito de Dondo, província de Sofala, o líder da Resistência Nacional Moçambicana (RENAMO) disse que o seu partido já remeteu ao Executivo uma lista de 362 oficiais "para que sejam enquadrados na polícia".

CONFLITOS | 25.04.2021

RENAMO quer ex-guerrilheiros a combater em Cabo Delgado
 Mosambik Inhambane | DDR-Prozess 
Ossufo Momade indicou ainda que 36 elementos vão integrar a a unidade de proteção de altas individualidades.

Chamado a comentar os avanços já alcançados no processo de Desmilitarização, Desarmamento e Reintegração (DDR), com término previsto para este mês de junho, Momade disse que "a grande preocupação não é quando [o processo] termina", mas sim que ele "avance".

O líder da RENAMO lembrou os problemas no início de 2020: "Com a pandemia da Covid-19, houve dificuldade em juntar os guerrilheiros para que fossem desmobilizados".

CONFLITOS 21.04.2021

Ainda cabe a reconciliação no alinhamento RENAMO - FRELIMO?
 Friedensvertrag Mosambik 
No entanto, Momade destacou o trabalho do partido "no sentido de convecer o Governo e a comunidade internacional para podermos iniciar com as atividades de DDR em pequenos grupos, e é o que estamos a fazer".

 Mosambik Inhambane | ehemalige RENAMO-Guerilleros
Antigos guerrilheiros da RENAMO integram o processo de DDR, fevereiro de 2021
Paz no centro de Moçambique
O presidente da RENAMO referiu ainda que está satisfeito com a aparente calma na zona centro de Moçambique, com destaque para a província de Sofala.

O silêncio das armas nos últimos meses é um bom sinal, sublinhou Momade, até porque "é necessário que nos prepararemos para os próximos pleitos eleitorais. É preciso reestruturar [a RENAMO], trabalhar com os membros e explicar à população o nosso objetivo e as políticas setoriais" do partido.

Segundo o político, membros antes desavindos do partido (integrantes da autoproclamada "Junta Militar") estão agora a reencontrar-se com os outros.

"A RENAMO é um partido unido. Nenhum elemento da RENAMO está fora. Neste momento, estamos juntos", assegurou.

Até à data, cerca de metade dos pouco mais de 5.220 ex-combatentes do braço armado da RENAMO já foram abrangidos pelo DDR, informou esta sexta-feira à agência de notícias Lusa o embaixador da União Europeia (UE) em Moçambique, António Gaspar.

O diplomata espera que o processo seja concluído até ao final do próximo ano.

Deixe connosco seus anúncios através do seguinte correio electrónico: saculcardoso01@gmail.com Ed. Sacul Cardoso

Sem comentários